Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2016

Programação de hoje da Felis

PROGRAMAÇÃO DA FELIS - DIA 11 DE NOVEMBRO
(sexta-feira) CAFÉ LITERÁRIO
Local: Centro de Criatividade Odylo Costa, filho 17h – Sarau Musical "Brilhando no Café"
Realização: Curso de Licenciatura em Música - DEART – UFMA 17h30 – Bate-Papo Literário: "Homenagem ao teatrólogo Aldo Leite" 19h30 – Sarau Café com Canção
Realização: Curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA PALCO FELIS
Local: Praça Nauro Machado 14h – As sete lendas que encantam São Luís – UEB Cecília Meireles 15h – Histórias Bilíngues – LABORARTE 16h – Ballet Infantil – Escola Marista 16h30 – Histórias para contar – Cia Nhá Caboca 17h – A mulher ambulante – SMB Cordeiro 18h – As bodas de canãa – Cena Aberta 21h – Clarins ao Vento – André Roberto APRESENTAÇÕES CULTURAIS - SEMED  LOCAL: TEATRO JOÃO DO VALE 14h - Projeto Balé - Creche Escola Maria De Jesus Carvalho (Educação Infantil) 15h – Coral Melodia com as Mãos - UEB Maria Alice Coutinho 15h30 - Espetáculo Teatral: Escravidão - U…

Livro une ficção científica e personagens do folclore maranhense

O escritor José Ewerton Neto, membro da Academia Maranhense de Letras, lança hoje, na Felis, no stand da livraria Vozes, a partir das 19h, o livro “O Entrevistador de lendas - uma aventura de ficção científica sobre lendas maranhenses”. Trata-se, segundo o autor, de uma aventura de ficção científica sobre lendas do Maranhão com o objetivo de trazer aos leitores, especialmente aos estudantes, todo o fascínio das principais lendas da região num formato mais lúdico que didático. Na trama, personagens do futuro viajam pelo tempo em busca de lendas em um momento em que se esgotam as possibilidades de entretenimento humano. Desse modo, iniciam interações que são divulgados para todo o universo. O ritmo é alucinante. O final é insólito e, além das emoções propiciadas pelo texto, o leitor tem de quebra informações sobre o folclore maranhense. Para o professor e escritor José Neres, neste novo livro de Ewerton “o exotismo das lendas maranhenses entra em cena como aperitivos rápidos, suculentos…

Palestra de Marcia Tiburi adiada

A conferência da filósofa Marcia Tiburi que teria lugar ontem na Felis não aconteceu, ficando adiada para amanhã (sexta). Foi mais uma alteração de última hora na programação da Feira, que teve mudado, logo de saída, o local e horário para abertura do evento. Previsto para ser realizado na Praça Nauro Machado, no domingo, terminou acontecendo no Odylo Costa, filho, na segunda-feira. Repetindo postagem anterior: Tiburi, que falará de Literatura, Filosofia e Política, vem de lançar “Conversando com um fascista, reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro”, obra prefaciada pelo deputado federal Jean Wyllys. Em tempos de Trump & Temer, assunto para discussão não vai faltar.




Marcia Tiburi: a democracia está ameaçada

A mestre e doutora em filosofia Marcia Tiburi é a atração da Felis, hoje, a partir das 20h, na Praça Nauro Machado. Ela vai falar de Literatura, Filosofia e Política, tendo como mediador o jornalista Francisco Gonçalves. Assunto com certeza não vai faltar para ser colocado em debate, levando em conta, principalmente, que Tiburi vem de lançar recentemente o livro “Conversando com um fascista, reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro”. Com prefácio do deputado federal Jean Wyllys, o livro, segundo a Folha de São Paulo, é “um repúdio contra a barbárie”. E clama pelo diálogo. “Não podemos fingir que nada está acontecendo, a democracia está ameaçada, é preciso reagir”, diz autora, para quem essa reação deve se dar por um meio da forma específica do ativismo filosófico, que é o diálogo.

Livros de autores maranhenses na Felis

Para quem se interessa por livros de autores maranhenses, a Felis é uma ótima oportunidade de adquirir obras produzidas pela turma daqui. Na Casa do Maranhão, por exemplo, um espaço foi reservado exclusivamente para os escritores locais. Mas não fica nisso. Como em anos anteriores, continua mantido o stand de autores maranhenses. E em livrarias como a Vozes e Poeme-se, o leitor também pode encontrar obras de autores locais. Estão lá, entre outros, os meus O tambor de Mestre Zizinho e A lenda do Rei Sebastião em cordel, ambos lançados pela editora Mercuryo Jovem.
O primeiro, ambientado em um quilombo maranhense, tem o tambor de crioula como pano de fundo da história de um garoto curioso que ajuda sua comunidade a recuperar a tradição da manifestação, que andava um tanto esquecida.
Já a lenda do Rei Sebastião conta em versos de cordel a história fantástica do Rei Sebastião que tendo desparecido numa batalha na África, reaparece em terras maranhenses na figura de um touro encantado. Ambo…

Confira a programação de hoje da Felis

DIA 09 DE NOVEMBRO
(quarta-feira)
CAFÉ LITERÁRIO
Local: Centro de Criatividade Odylo Costa, filho 17h – Sarau Musical "Brilhando no Café"
Realização: Curso de Licenciatura em Música - DEART – UFMA 17h30 – Bate-Papo Literário "Gonçalves Dias e sua influência na literatura caxiense"
Debatedores: Raimundo Nonato Medeiros, Frederico Brandão, Antônio Augusto Brandão, Arthur Almada Lima Filho, Jaqcques Inandy Medeiros, Silvana Meneses, José de Ribamar Correa Filho, Quincas Vilaneto,
Mediador: Wybson Carvalho 19h – Sarau Café com Canção
Realização: Curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA
PALCO FELIS
Local: Praça Nauro Machado 14h – O leão e o ratinho - UEB Nossos amiguinhos 15h – O mundo mágico da Leitura - Jeif Karaf 16h – Baú de Histórias – Xama Teatro 17h – Ritmos Urbanos – Luís Werico 18h – Palco Aberto 19h – O Milagre das Bodas de Canãa – Cena Aberta 20h - Clarins ao Vento – André Roberto
CONFERÊNCIAS
Local: Praça Nauro Machado
Horário: 20h Palestran…

Eduardo Bueno é atração de hoje na FELIS

O jornalista, editor e tradutor Eduardo Bueno é a grande atração de hoje da Felis, a partir das 20h, na Praça Nauro Machado. Autor da coleção Terra Brasilis, ele se tornou um dos maiores fenômenos editoriais do país, tendo ocupado de forma inédita a lista dos mais vendidos dos principais jornais e revistas nacionais com três dos seus títulos – Viagem do Descobrimento, Náufragos, Traficantes e Degredados e Capitães do Brasil. Como nem tudo são flores, em 2014 Bueno cometeu um deslize. Durante o programa “Extraordinários”, do canal a cabo Sport TV, ele se referiu ao Nordeste como “aquela bosta”. E aí as coisas azedaram. A grita foi geral, com o escritor acusado de preconceituoso e tentativa de enquadrá-lo na justiça. Bueno, é claro, teria reagido, e bem ao seu estilo. “Eu tenho que falar um tema sério, sério de verdade. Não é brincadeira, é um pronunciamento. O negócio é o seguinte: eu quero declarar guerra! Guerra a nordestino babaca! Está cheio de nordestino babaca e eu conjuro e cham…

Feira do Livro: veja a programação de hoje

Programação da 10ª Feira do Livro DIA 08 DE NOVEMBRO
(terça-feira)

CAFÉ LITERÁRIO
Local: Centro de Criatividade Odylo Costa, filho 17h – Sarau Musical "Brilhando no Café"
Realização: Curso de Licenciatura em Música - DEART – UFMA 17h30 – Bate-Papo Literário: Gonçalves Dias: as várias faces do poeta maior
Debatedores: Weberson Fernandes Grizoste, Dino Cavalcante e Renata Ribeiro
Mediador: José Neres 19h – Sarau Café com Canção
Realização: Curso de Licenciatura em Música da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA
PALCO FELIS
Local: Praça Nauro Machado 14h – Ciranda da Rosa Vermelha – UEB Primavera 14h40 – Dança do Ventre – UEB Primavera 15h – Nazuá e o Arco íris – Residência 05 16h – Baú de Histórias – Xama Teatro 17h – A mala do biruta – André Coelho 18h30 – Um apartamento no céu - NAFEM CONFERÊNCIAS
Local: Praça Nauro Machado
Horário: 20h Palestrante: Eduardo Bueno (RS)
Tema: Na Estrada da História
Mediador: Marcus Saldanha (jornalista e historiador) CASA DO ESCRITOR MARANHENSE – LANÇAMENTO DE…

Felis começa na Praia Grande

Finalmente a Feira do Livro de São Luís teve início com solenidade no centro Cultural Odylo Costa, filho. Como já se sabia, a falta de compromisso da prefeitura (o que não se estende aos servidores que estão trabalhando na linha de frente do evento) resultou no encolhimento flagrante da Felis e num sentimento de frustração diante do que o evento poderia ter sido, mas não foi. Em lugar de uma grande festa para completar sua primeira década de existência, o maior evento literário do estado parece estar sendo realizado apenas para cumprir tabela. Detalhe: em meio a esse cenário sóbrio, algumas coisas interessantes. O que mais me chamou a atenção até agora foi a montagem de um espaço, na Casa do Maranhão, com stands reservados exclusivamente para autores maranhenses. Uma conquista, que resultou da organização de escritores locais reunidos em torno de uma associação criada recentemente, a AMEI, que já conta com bom número de membros e promete trabalhar pela valorização dos profissionais do…

Mais mudanças na Felis

Na página da Secretaria Municipal de Cultura, na matéria Prefeitura e Sesc abrem a 10ª Feira do Livro de São Luís nesta segunda-feira (7),consta o seguinte : “A conferência de abertura acontecerá na Praça Nauro Machado, às 20h, com o pesquisador Weberson Grizoste, especialista na obra de Gonçalves Dias." O texto motivou minha última postagem (que caiu no vazio) sobre a abertura da Feira. Que na verdade, segundo o convite aqui copiado, não acontecerá nem na Nauro Machado, nem às 20h. Mas sim no Odylo Costa Filho, às 18h30. Reagendem-se. 

O patrono da Feira é Gonçalves Dias; melhor, para evitar ciumeiras

Ao contrário de edições passadas, o patrono da Felis 2016 não é um escritor vivo, mas que se imortalizou pelo poder da sua produção e importância da sua obra. Trata-se do caxiense Gonçalves Dias, sendo a opção por um escritor já falecido, na minha opinião, acertada, na medida em que evita guerrilhas de ego e ciumeiras que eventualmente envolvem a escolha do principal homenageado da Feira. Menos lembrado do que deveria entre nós, maranhenses, Antônio Gonçalves Dias nasceu no dia 10 de agosto de 1823, em Caxias. Era filho do comerciante português João Manuel Gonçalves e da brasileira, cafuza, Vicência. Que foi mandada embora quando o pai do poeta conhece D. Adelaide Ramos d’Almeida, com quem se casa. Em 1830 o menino, que fica sob a guarda paterna, inicia os estudos das primeiras letras com o professor José Joaquim de Abreu. Nos anos seguintes estuda caligrafia e contas, trabalha com desenvoltura no estabelecimento comercial do pai, para em maio de 1837 partir na companhia de João Manuel…