Pular para o conteúdo principal

FEIRA DO LIVRO COMEÇA SÓ SEGUNDA



Não teve jeito. A Feira de Livros de São Luís, que este ano deveria festejar uma década de existência, arrisca ser a mais fraca de todos os tempos.
Alguns dos motivos: 1) A feira, que antes era realizada em dez dias, ficará com apenas sete. Ou seja, perderá um fim de semana, acarretando tremenda perda para os livreiros e para a comunidade, que terá menos tempo para visitação; 2) A feira encolheu de tamanho. Dos 32 stands a serem administrados pela Associação dos Livreiros, ficaram 28, o que acarretou a lamentável saída de uma das maiores editoras deste país, a Paulus; 3) Afora a mídia institucional e a pouca espontânea, a Felis praticamente não contou com divulgação, o que é impensável para um evento desse porte; 4) A forma atabalhoada e de última hora como a estrutura está sendo montada. Tanto que, prevendo-se que não estarão concluídas até amanhã (o que parece óbvio), resultou no cancelamento da abertura oficial do evento.
E por que aconteceu assim? Muito provavelmente (em que pese o esforço desmedido da equipe da Secretaria, que organiza o evento), por conta da forma negativa e mesmo desrespeitosa como o executivo vê a cultura em geral e a questão do livro e da leitura, em particular. Como demonstra, além do tratamento que vem sendo dado à Feira, a não realização do Concurso Literário Cidade de São Luís, o único no estado voltado para o incentivo à produção literária. Mas é sempre bom lembrar: a Feira de Livros e o concurso, para ficarmos nestes dois exemplos, são conquistas da população, não devendo ficar suas existências a mercê da vontade do administrador de plantão. Não devemos desistir delas.


Postagens mais visitadas deste blog

"Arte e Manhas do Jabuti" será lançado em junho

Publicado com o selo Autêntica, será lançado em breve, em São Luís, o meu infantil Arte e Manhas do Jabuti. O livro, com recontos da tradição oral dos tenetehara, tem apresentação do escritor e pesquisador da cultura popular, Marco Haurélio, e belíssimas ilustrações de Taisa Borges.  Lembrete: para quem quiser se adiantar, o livro já se encontra em pré-venda na página da editora (http://grupoautentica.com.br/). Arte e Manhas do Jabuti conta com apoio cultural do SESC-MA.




























A menina inhame e Os dois irmãos e o olu: dois belos contos africanos em versos de cordel

Acabaram de sair pela editora SESI-SP os livros A menina inhame e Os dois irmãos e o olu, contos africanos que ganharam nessas obras versões em cordel.
A menina inhame é um conto tradicional africano recolhido e recontado por Agnès Agboton, com tradução do escritor Celso Sisto para o português. E a ideia foi unir a tradição dos versos de cordel à forte tradição africana voltada para a oralidade, manifestada com imensa beleza estética nesta história de provável origem iorubá.
O conto fala da angústia de uma mulher que desprezada pela sua comunidade por não conseguir ter filhos, pede a algo da natureza (no caso um inhame, tubérculo que em alguns países da África tem uma simbologia ancestral ligada à fertilidade) que se converta em sua filha. Assim, a fim de convencer o inhame, chamado Tevi, a atender-lhe o desejo, a mulher promete jamais revelar a verdadeira origem da moça. Mas acaba, o que gera desagradáveis consequências, quebrando a promessa num momento de raiva.
Os dois irmão e o …

A menina levada chega à rede municipal

Nesta segunda-feira, a partir das 14 horas, acontece na Unidade de Ensino Básico Bernardina Spíndola uma grande festa literária marcando a passagem do Dia Municipal do Livro. Na oportunidade, será lançado o livro A menina levada e a Serpente Encantada, que chega à escola por meio de aquisição da prefeitura de São Luís. Desde já, parabenizo a todos que tornaram possível esse momento, quando estarão reunidos autores, professores, técnicos e, o que é muito importante, os pequenos leitores a quem a obra é dirigida.