Pular para o conteúdo principal

“Janelas fechadas”, primeiro romance de Josué Montello, ganha nova edição




No próximo dia 15, a partir das 9h, será lançado no colégio Cintra, no Anil, o livro “Janelas fechadas”, do maranhense Josué Montello. Trata-se do primeiro romance do escritor, publicado originalmente em 1941, com uma segunda edição em 1982. Até então fora de catálogo, a obra volta agora às mãos do público leitor graças à uma parceria da Casa do Autor Maranhense e Casa de Cultura Josué Montello (equipamento cultural do governo do Maranhão), com apoio cultural da Cemar.
            O local escolhido para o lançamento não poderia ser mais sugestivo. Livro que dá início à profícua carreira literária de Josué Montello, “Janelas fechadas” tem a maior parte da sua ação transcorrida no Anil, bairro onde o Cintra está localizado.
A personagem principal do romance é Benzinho, bela jovem estudante do Colégio Santa Teresa que vê sua vida virar do avesso após engravidar de um homem casado e bem mais velho que ela. E que, sem assumir suas responsabilidades, desaparece para nunca mais dar notícias. Envergonhada pela tragédia, a família (a mãe viúva e um irmão) se vê forçada a refugiar-se no distante subúrbio, numa tentativa de protegerem-se da maledicência alheia. 
Misturando certa ingenuidade (que faz lembrar Gabriela de Jorge Amado), e ao mesmo tempo firmeza de opinião, Benzinho, até onde pode, bate de frente com o mundo preconceituoso à sua volta. Não declara quem é o pai da criança e quando a filha nasce vai na cara dura, ou por mera inocência, visitar as amigas e as freiras da conservadora escola que foi obrigada a abandonar. Como outros livros de Montello publicados no ano passado, “Janelas fechadas” faz parte do pacote de lançamentos que festejaram em 2017, os cem anos de nascimento do escritor.  








Postagens mais visitadas deste blog

Vale: ações sociais nos trilhos

Educação, arte, cidadania, saúde e muito mais. Tudo isso a Vale coloca nos trilhos através de ações e projetos realizados em seu Vagão Social, que tive o prazer de visitar nesta terça-feira (06). O vagão (utilizado somente quando existem ações em andamento) é parte integrante do trem de passageiros da Vale, que faz a rota São Luís – Parauapebas. Passando por várias cidades importantes do nosso estado (como Imperatriz e Açailândia), o trem vem transportando, em média, por viagem, cerca de 1300 passageiros.














Idealizado para tornar a viagem dos seus milhares de passageiros mais agradável e divertida, o Vagão Social oferece muito mais: como formação, serviços e conhecimentos que podem ser úteis para melhorar vidas. Bom lembrar que em 2015, o trem de passageiros da Vale, que se encontrava com trinta anos de uso, foi substituído por um novinho em folha, produzido especialmente na Europa.


A menina levada chega à rede municipal

Nesta segunda-feira, a partir das 14 horas, acontece na Unidade de Ensino Básico Bernardina Spíndola uma grande festa literária marcando a passagem do Dia Municipal do Livro. Na oportunidade, será lançado o livro A menina levada e a Serpente Encantada, que chega à escola por meio de aquisição da prefeitura de São Luís. Desde já, parabenizo a todos que tornaram possível esse momento, quando estarão reunidos autores, professores, técnicos e, o que é muito importante, os pequenos leitores a quem a obra é dirigida.